Prefeitura desiste de multar carros nas faixas azuis dos ônibus
19 de abril de 2016
Profissionais estão sendo capacitados para atuar como ALI
19 de abril de 2016
Exibir tudo

Jackson quer solução da Petrobras para instalar fábrica

O governador Jackson Barreto (PMDB) recebeu no Palácio de Despachos, o gerente geral da Petrobras em Sergipe, Nilo Duarte, para cobrar uma posição da estatal sobre a possibilidade de autorização para que a Companhia Industrial de Cimento Apodi possa instalar uma nova unidade Santo Amaro das Brotas. Na região onde a empresa pretende instalar a nova fábrica, também existe a exploração de petróleo.

A reunião foi acompanhada pelo gerente de Planejamento e Controle, José Teófilo de Miranda, e o gerente de Exploração e Produção, Fernando Taboada, ambos da Petrobras. Também participaram os assessores do governo, José Oliveira Júnior, Ricardo Lacerda e Carlos Cauê.

O governador explicou que já se reuniu com a diretora de Exploração e Produção, Solange Guedes, e também com a direção da Agencia Nacional de Petróleo (ANP) na busca de encontrar uma forma de executar a exploração conjunta do petróleo e do calcário, entretanto, o impasse permanece há mais de um ano.

De acordo com o governador, o projeto da fábrica de cimento, orçado em R$ 1 bilhão e com previsão de geração de dois mil empregos no início da instalação, está temporariamente suspenso por força do impasse entre a indústria cimenteira e a empresa petrolífera sobre o uso do solo.

Produção pequena
Todo o empecilho foi gerado pelo fato de existir três poços de petróleo na região, sendo que um deles ainda está ativado e com capacidade de produção de 40 barris\dia na área onde será explorado o calcário, matéria prima na produção do cimento. Para se fazer a produção do calcário, é preciso que a Petrobras autorize o uso do solo.

“Este impasse, que dura mais de um ano, está prejudicando o estado num momento em que precisamos gerar emprego e renda para superar a crise. Promovemos mais uma reunião para buscar uma solução”, afirmou o governador, ao informar que já ficou acertada uma nova reunião entre o governo, a Apodi e a Petrobras para que todos possam prestar os esclarecimentos sobre o assunto e buscar a melhor solução.

O gerente Geral da Petrobras em Sergipe, Nilo Duarte, afirmou que a empresa quer trabalhar de maneira colaborativa com o estado e destacou que o problema foi gerado sobre a necessidade de realização de um estudo de segurança geomecânica para que a indústria cimenteira possa trabalhar com explosivos na área.

Jackson Barreto recordou que fez um grande esforço para trazer a fábrica para Sergipe e se colocou à disposição do grupo, que é um dos maiores do país, para ajudar na sua instalação.

Fonte e foto: ASN

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *