Menino negro, vendido pelo pai como escravo, virou advogado
12 de agosto de 2017
Leia o resumo dos jornais desta segunda
14 de agosto de 2017
Exibir tudo

Historiador sergipano lança livro sobre internatos

Joaquim Tavares lançará seu livro em noite de autógrafos no Museu da Gente Sergipana

O professor e pesquisador Joaquim Tavares da Conceição lança no próximo dia 23, às 18h, no Museu da Gente Sergipana, o livro “Internar para Educar”. A obra é resultado da tese de doutorado do autor, na qual ele aborda as práticas educativas e culturais utilizadas nessas instituições no Brasil no período de 1840 a 1950.

Joaquim Tavares da Conceição é graduado em História e mestre em Educação pela Universidade Federal de Sergipe, doutor em História pela Universidade Federal da Bahia, professor da Pós-Graduação em Educação da UFS e também docente do Colégio de Aplicação. O livro “Internar para Educar” está sendo lançado pela Editora do Diário Oficial de Sergipe (Edise).

O internato já foi uma das opções preferidas pelas elites brasileiras para a educação formal de seus herdeiros. A pedagogia do internato era vista como ampla e completa, capaz de preparar integralmente os jovens. Pelo alto custo, em geral, somente os filhos de famílias ricas tinham acesso a essa forma de escolarização. Nesses colégios, além das aulas, os estudantes participavam de atividades culturais, esportivas, recebiam orientações religiosas e eram submetidos a uma rígida disciplina. Acreditava-se que, assim, estariam sendo educados futuros líderes. Mas também havia críticas a esse regime escolar: a medicina, por exemplo, discutia a higiene física e moral dos internatos, no auge do higienismo no Brasil. Padrões sociais e de comportamento eram defendidos em nome da saúde.

Esses e outros aspectos da temática são apresentados na obra com sensibilidade e rigor que são peculiares ao experiente historiador Joaquim Tavares da Conceição. O autor dedica também um capítulo aos internatos sergipanos, reconstituindo práticas e valores presentes nessas instituições. Na produção da pesquisa, que se insere na História da Educação do Brasil, e em especial de Sergipe, o autor utilizou fontes como: relatórios, teses de doutorado, almanaques, revistas, livros de viajantes, romances, fotografias e anúncios na imprensa.

A Editora do Diário Oficial de Sergipe (Edise) segue fomentando a produção e circulação de obras literárias. Somente este ano publicou mais de 10 novos títulos. O incentivo da Edise a autores sergipanos é destacado por Joaquim Tavares: “Com a publicação de livros, especialmente resultante de contribuições de autores sergipanos, a Editora do Diário Oficial de Sergipe (Edise), órgão da Empresa de Serviços Gráficos de Sergipe (Segrase), consolida-se como espaço importante para a divulgação e desenvolvimento científico, cultural e literário do estado. O livro Internar para Educar é resultado do compromisso e financiamento do Governo do Estado de Sergipe, por meio da Segrase/Edise, para a impressão e divulgação de pesquisas acadêmicas desenvolvidas em instituições sergipanas”.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *