Detran é acusado de lesar o povo
4 de fevereiro de 2020
Rogério acusa Bolsonaro de usar fake News em mensagem
5 de fevereiro de 2020
Exibir tudo

Crime de Lagarto: Polícia apreende duas armas

O revólver calibre 38 e a pistola calibre 380 vão passar por exame de balística

Policiais civis apreenderam duas armas de fogo, podendo um delas ter sido usada para assassinar o jovem Jorge Alexandre Souza Santana, crime ocorrido em Lagarto no último dia 23. O principal suspeito do crime é o empresário Rodrigo Rocha, que se encontra foragido. A apreensão ocorreu após cumprimento de mandados de busca e apreensão. A operação policial foi realizada depois de informações obtidas pela Polícia Civil de Lagarto e da realização de várias diligências.

Foram dois mandados de busca e apreensão cumpridos em momentos simultâneos. Um no bairro Libório, na residência de um homem, preso em flagrante pela posse ilegal de arma de fogo, e outra em um estabelecimento comercial no centro de Lagarto. A arma flagrada com o homem preso hoje teria sido negociada logo após o crime, pelo suspeito preso temporariamente no início das investigações e que presenciou o assassinato de Jorge Alexandre Souza Santana no interior da casa de Rodrigo Rocha.

Vendida por R$ 4 mil

Durante a ação, foram apreendidos um revólver calibre 38, com sete munições, e uma pistola calibre 380, com dois carregadores e 36 munições. Segundo informações de investigadores da Delegacia Regional de Lagarto, “um homem foi preso temporariamente no dia 28 de janeiro, mas antes disso e ainda no período das investigações ele teria pedido a um familiar que vendesse um revólver a outro rapaz da cidade por R$ 4 mil”.

A arma está sendo investigada pelo Instituto Criminalística e será submetida ao exame de balística. Já o investigado foi autuado e liberado mediante o pagamento de fiança e responderá o processo em liberdade”.

A Polícia Civil reafirma que mantém intensas diligências para prender Rodrigo Rocha. As investigações seguem em andamento e qualquer informação pode ser repassada pelo Disque-Denúncia (181), o sigilo do denunciante é garantido.

Fonte e foto: SSP/SE

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *