Governadores pedem a Moro um plano de segurança
12 de dezembro de 2018
Setor de serviços cresce 0,1%
14 de dezembro de 2018
Exibir tudo

Peru caipira custa caro, mas vale à pena na ceia do Natal

O peru criado no quintal tem muito mais sabor do que os vendidos nos supermercados

Quem não abre mão de ter um peru caipira na ceia de Natal é bom preparar o bolso, pois a ave gorda e pesando entre 7 e 8 quilos está sendo vendida em Aracaju acima de R$ 100. Os comerciantes garantem agora em dezembro o preço ficou mais salgado por conta do aumento da procura. Mesmo assim, eles apostam em boas vendas: “Essa é uma tradição em Sergipe, principalmente no interior, onde as pessoas costumam criar o peru, engordar para a ceia de Natal. Quem pode não abre mão do peru caipira com farofa, assado em forno de padaria”, diz Fernando Faustino Santos, comerciante de aves caipiras.

O comerciante ensina que um bom peru caipira tem que ser engordado no milho. Quando se aproxima o dia do abate, muitos criadores alimentam a ave com milho cozido porque o grão fica mais mole e é processado mais rápido. Fernando alerta para quem não tem experiência em comprar o peru vivo: “Há vendedor desonesto que alimenta o bicho com farinha molhada para ele ficar mais pesado. A pessoa não conhece, compra e quando mata, o papo do peru tá cheio de farinha, isso quando não morre antes empanzinado”, explica.

Para a carne do peru ficar macia, as pessoas costumam “embriagá-lo” antes do abate. É claro que a ave do terreiro dá mais trabalho para aprontar, mas vale a pena! O outro já vem temperado e é criado com ração, que certamente contém substâncias nocivas à saúde, enquanto que o caipira é criado solto, de forma natural, comendo milho e sobras de comida o que lhe confere um sabor mais genuíno e melhor. Um bom peru caipira leva quase um ano para ficar gordo, no ponto de abate.

(Crédito/clasf.com.br)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *