Prefeito de Lagarto é condenado
19 de dezembro de 2017
Leia o resumo dos jornais desta quarta
20 de dezembro de 2017
Exibir tudo

Presa quadrilha que vendia drogas até no cartão de crédito

A ação da Polícia Civil foi desenvolvida em bairros da região sul de Aracaju

A Polícia Civil de Sergipe cumpriu nesta terça-feira (19), 28 mandados de prisão preventiva e outros 29 de busca e apreensão contra uma associação criminosa responsável pelo tráfico de drogas na região litorânea de Aracaju. As investigações da “Operação Tubarão” mostram que a quadrilha era composta por quatro núcleos de comando e é a principal responsável pelo tráfico de cocaína, crack e maconha na capital sergipana.

As investigações, acompanhadas pela Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol), começaram no mês de julho de 2017 e mostram que a zona de abastecimento do grupo é a região sul de Aracaju, com destaque para os bairros Coroa do Meio, Atalaia, Farolândia e São Conrado, além dos Conjuntos residenciais Orlando Dantas e Augusto Franco. A droga chegava a ser vendida através de cartão de crédito e de débito. Os chefes da quadrilha possuíam carros de luxo, identificados durante a operação como um Land Rover e um Volvo.

Outra característica do grupo é a extrema violência. Com o monitoramento e investigações, equipes da Polícia Civil chegaram a intervir e frustrar homicídios encomendados pelos chefes da associação criminosa contra outros traficantes e usuários de drogas. Todas as vezes que a Polícia identificava preparativos para a prática de homicídios, saturava a área com equipes policiais e evitava que o crime fosse cometido.

A Polícia detectou que não se tratava de um simples grupo de traficantes, mas de uma associação criminosa composta por quase 30 pessoas, estruturalmente ordenada e com divisão de tarefas voltadas para aquisição de substâncias entorpecentes no sudeste brasileiro para distribuição em bairros sergipanos. Nas investigações realizadas pelo Denarc durante o ano, cerca de 300 quilos de drogas foram apreendidas.

Uma das ações foi na prisão no dia 9 de outubro deste ano, quando foi presa Ana Paula Pereira da Silva. Com ela, foram apreendidos 101 tabletes de maconha pesando 119,65 quilos dois quilos de crack, 1,5 quilo de cocaína e uma balança de precisão. Tudo isso em um quarto de crianças de 13, 10, seis e quatro anos de idade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *