Herzog foi morto há 40 anos
25 de outubro de 2015
Leia o resumo dos jornais desta segunda
26 de outubro de 2015
Exibir tudo

Matemática foi o “bicho papão”

Mais de 551 mil estudantes de educação superior farão o exame

O “bicho-papão” da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) este ano foi a matemática. A redação que, nesta edição, teve como tema “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”, agradou e tranquilizou o segundo dia de provas para grande parte dos candidatos.

Raquel Xavier, 20 anos, que quer cursar Turismo, afirmou que o dia de prova hoje foi “mais cansativo”, mas disse estar confiante no resultado e acha que será suficiente para ingressar na faculdade. “O que mais pegou foi matemática, mais do que a redação que teve um tema bem atual. Acho que vai dar para entrar”, disse.

“Matemática foi o mais complicado por questões de matérias mais antigas. Para quem terminou o ensino médio há mais tempo, como eu, isto complica. Mas fiz uma boa prova”, avaliou Renan Henrique de Souza Sena, 22 anos.

Com ar de decepção, Renata Bittencourt Ponte, 20 anos, acabou sendo vítima do nervosismo. Ela se dedicou às questões de matemática e perdeu a noção de tempo para as outras provas. “Perdi muito tempo na prova de matemática e, sem querer, não olhei para cima [cronômetro atualizado pelos fiscais de prova nas salas] para ver o tempo que ainda tinha. Como a moça falou que a gente já podia sair com a prova [tempo mínimo definido para os candidatos possam levar as questões para casa] minha impressão é que faltavam só duas horas para acabar. Acabei fazendo rápido e quando entreguei vi que ainda dava tempo de fazer com calma”, lamentou.

No caso da redação, para que tenham alguma chance, os candidatos precisam escrever mais de sete linhas e não fugir do tema proposto nem fazer brincadeira ou deboche com o tema. A estrutura deve ser dissertativo-argumentativa, com exposição de argumentos sobre o tema, em que serão analisadas consistência e coerência.

O Ministério da Educação estabelece cinco competências a serem analisadas e cada uma tem cinco faixas que vão de 0 a 200 pontos. Para definir a nota da redação, são considerados critérios como domínio da norma-padrão da língua escrita, compreensão da proposta da redação e aplicação de conceitos de diversas áreas do conhecimento para desenvolver o tema; capacidade de selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações para defender um ponto de vista; conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação e elaboração de proposta de intervenção ao problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Fonte: Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *