Cerâmicas vão ter que adequar tijolos às normas do Inmetro
17 de Abril de 2018
Polícia procura 3º envolvido no crime da professora
17 de Abril de 2018
Exibir tudo

Francisco Gualberto é mantido na liderança do governo

Gualberto já vem exercendo a liderança do Executivo desde os governos do falecido Marcelo Déda

Durante a sessão dessa terça-feira (17), foi feita a leitura do ofício do governador Belivaldo Chagas (PSD), comunicando a Assembleia Legislativa que o deputado estadual Francisco Gualberto (PT) segue na liderança do governo na Casa, tendo como vice-líder o também deputado estadual Róbson Viana (PSD). No Grande Expediente, o petista ocupou a tribuna para comentar a continuidade do desafio e recebeu o apoio da oposição.

Ao fazer uso da tribuna, Gualberto lembrou que já vem exercendo a liderança do governo na Assembleia desde os governos de Marcelo Déda (in memoriam) e que chegou a assumir a função em duas situações distintas já com o ex-governador Jackson Barreto (MDB). “Agora recebo o convite do governador Belivaldo Chagas que me solicitou que eu fique no cargo até o final do ano, até o final dessa gestão. Não teria nenhuma lógica em não aceitar este convite”.

Gualberto disse ainda que aproveitava para dizer aos pares que a vida é um eterno aprendizado e reconheceu que em momentos anteriores pode ter errado, mas que sua intenção sempre foi de acertar. “Devo ter errado e não foi pouco, mas todos sabem que errei porque sou um ser humano, porque não sou infalível. Tenho limitações e seria um grande defeito não compreendê-las. Por isso deixo todos a vontade porque, caso percebam algum equívoco grande ou desvio de comportamento nesta Casa, estou a disposição para que possam me orientar, me chamar a atenção”.

Em seguida, Gualberto se disse à disposição para ficar na liderança do governo continua sendo a mesma e que mantém compromisso com o projeto que sempre defendeu. “Sigo com o mesmo perfil e reconheço a mudança de composição aqui na Casa, no plenário, após a janela que permitiu as trocas partidárias e onde alguns companheiros foram para outros partidos. Nosso bloco pode sofrer algumas alterações e vamos ter que recompor as comissões dentro das normas estabelecidas pelo regimento da Casa”.

O petista disse que se acontecerem embates serão normais e acredita ter acertado mais do que errado na Alese. “Vou prosseguir na liderança, temos responsabilidade e quem já foi líder sabe quem nem sempre as coisas caminham como nós projetamos. Deixo claro que faço política e que o mandato é consequência. Quem faz política com medo do resultado é vítima da própria política. Digo o que faço e penso”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *